sábado, 12 de março de 2011

Socorro

                                                                                          sponholz.arq.br

Olá queridos, continuo aqui em recuperação, sei que sou teimosa e às vezes apareço por aqui. Na minha fugidinha vim aqui dizer o quanto estou triste com tantas catástrofes, seja os terremotos e tsnunamis no Japão, ou as chuvas que devastam o litoral Paranaense e cidades no Rio Grande do Sul. 
Somos 6 bilhões de pessoas, e será que cuidamos como devíamos do local que vivemos, toda vez a solidariedade toma conta, mas precisamos de ações preventivas. Tá na hora de ficar de olho na natureza, ela tá pedindo socorro.

5 comentários:

Juan Barros Aviles disse...

Concordo, ficar remediando e lamentando depois das catástrofes não dá, é preciso que cuidemos de nosso planeta.

Anônimo disse...

O homem perdoa as vezes,Deus muitas vezes...a natureza nao.Boa recuperaçao.Glaucio Elias

Bill Falcão disse...

Se a gente não abrir o olho, uma hora a natureza vai se cansar de vez da gente, Cíntia! Bjoo!!

João disse...

Sim concordo, envolver cada vez mais a sociedade como um todo,fazendo um trabalho de mudança de cultura. Caminharmos para o consumo sustentável, cada indivíduo fazendo sua parte.
Aproveitar campanhas para promover o debate e definir propostas de soluções a curto, médio e longo prazo. "É começar Hoje". Temos ai a Campanha da Fraternidade, desenvolvendo-se durante todo o período de Quaresma.O tema é “Fraternidade e a Vida no Planeta” que será voltada...... para o meio ambiente; e o lema é “A Criação Geme Como em Dores de Parto”.
vamos divulgar veja o Hino http://www.youtube.com/watch?v=Q3b6egUkmPo

João disse...

Em Curitiba, lei de nossa autoria esta para ser regulamentada: Lei dos resíduos
A lei 13.509, aprovada em junho do ano passado prevê que os revendedores dos produtos que dão origem aos resíduos especiais ficam obrigados a disponibilizar aos consumidores o serviço de recebimento dos referidos resíduos no próprio estabelecimento. O local deve estar sinalizado e ser ambientalmente adequado, para posteriormente a coleta ser realizada pelo fabricante ou importador. A multa para o revendedor que não disponibilizar estes locais vai variar de R$ 500 a R$ 50 mil.
O consumidor também tem sua cota de responsabilidade e fica obrigado a entregar os resíduos nos pontos de recolhimento. Quem for flagrado dispensando estes resíduos inadequadamente, ou na coleta pública, receberá multas entre R$ 100 e R$ 10 mil.

Postar um comentário