domingo, 11 de abril de 2010

Dilma no ABC

                                                              Roque Sponholz

O PT voltou as suas origens neste final de semana, para competir com o evento de lançamento da pré-candidatura de Serra, e nada melhor do que um grande palco no ABC paulista, berço do movimento sindical no Brasil.
No seu novo perfil a (pré-) candidata Dilma Rousseff, mais sorridente de quando era a ministra de Minas e Energia, começou falando que estava lá para mostrar as coisas que fez pelo Brasil. Afirmou que poderá fazer muitas outras quando eleita, e que seus adversários têm que dizer quem são para os eleitores.
Usou seu discurso para esclarecer algumas críticas, declarou não ter medo de lutar pelos seus ideais, falou que sempre defenderá suas convicções.
Para suavizar os comentários da época em que foi militante, no período da ditadura, chegou a dizer que as coisas que fez durante as várias épocas da sua vida, foram por acreditar ser as atitudes corretas.
Afirmou que durante a sua campanha não vai usar métodos desonestos, e condenáveis para alcançar a vitória, as mudanças no seu perfil enquanto (pré-) candidata deve ter sido uma coincidência, não tomamos partido do outro candidato, mas a ex-ministra mudou muito no último ano.
Usou o discurso para fazer uma crítica velada aos seus adversários, disse que não vai entregar as nossas riquezas, e nem dilacerá-las, uma forma discreta de relembrar as privatizações do ex-governo peessedebista.
Aproveitou para falar dos movimentos sociais, ela que começou a ter contato direto com várias ramificações destes em 2003 quando se filiou ao PT. Não esqueceu de falar do quanto defende a democracia, o voto, e as opiniões, seria uma forma de afirmar que veremos mantida a liberdade de imprensa e os direitos civis. Outra forma sutil de criticar os peessedebistas foi declarar que nunca tratará grevistas como casos de polícia, não podemos que esquecer da batalha da polícia paulista contra uma manifestação que ocorreu na última semana do governo de Serra.
E nos momentos finais do discurso para encerrar não podia deixar de usar uma célebre frase do presidente cabo eleitoral Lula “Companheiros e Companheira”.
Hoje não vamos entrar no mérito se foi campanha antecipada ou não, mas vamos continuar de olho nos passos dos candidatos.
Estamos de olho.

3 comentários:

Maurício Grabowski disse...

Imagine quanto Dilma, Serra e “os outros”, vão gastar nesta campanha para presidente; mais, quanto eles vão ganhar honestamente, e desonestamente? São milhões de reais gastos em promessas e no final o resultado é o mesmo: “Toma” contribuinte.

Marco Sobreira disse...

Não da para acreditar nos métodos da Dilma. Agora mesmo no lançamento da Campanha do Serra, o marqueteiro da candidata disparava torpedos para jornalistas , tentando influênciar negativamente o evento. Ptistas entraram no twitter do do Serra, que estava divulgando as mensagens com posts até ofensivos ao candidato. Não acredito nas boas intenções da Dilma.

Maurício Reale disse...

Quem tem que explicar quem é para os eleitores é Dilma Rousseff. Os outros, todos sabem quem são. O que pouca gente sabe é que antes de ser agraciada com o ministério mais perdulário de Lula, ninguém jamais tinha ouvido falar da tal Dilma, o que foi ótimo para ela, pois, de importante no passado da candidata, está a sua militância esquerdista radical, quando assaltava bancos e sequestrava pessoas em nome de uma “causa político-social”.

Postar um comentário