sexta-feira, 2 de abril de 2010

Serra X Dilma e Lula


                                                              Roque Sponholz

A disputa pela presidência da república até então está entre José Serra contra Dilma Rousseff e Lula. Tudo porque a candidata petista espera emplacar apenas com a popularidade de Lula.
O candidato do PSDB, esta semana criticou e depois com medo de perder eleitores, que podem ser favoráveis a Lula, mas não a Dilma, e veio com um novo discurso de que esta campanha terá um bom nível.
A petista continua com seu fala montada, e com o cabo eleitoral Lula tecendo elogios a ela, em discursos velados. Ele ironiza as multas, e tenta induzir ao eleitor a lembrar sempre sua candidata.
Não sei o que os pré-candidatos à presidência consideram como um bom nível. Serra que será aclamado no próximo dia 10 como o candidato, vai ter como concorrência um evento do PT, que vai levar Lula e Dilma ao Rio, para fazer campanha antecipada.
Esperamos que o TSE não fique amedrontado e continue autuando quem não respeitar o pleito eleitoral.
Se o candidato não cumpre regras antes de eleito, imagine com o poder em suas mãos.
Vamos ficar de olho nos espertinhos que já estão em campanha.

3 comentários:

Marco Sobreira disse...

Pois é o Lula está sofrendo o que chamamos de melancolía de final de mandato e na sua soberba não admite a alternância de poder, usando sua popularidade para tentar eleger a sua pupila e ficar dando pitacos no seu Governo. Anda meio deprimido já que sua ambição a nível internacional, OEA ou ONU parece ter naufragado, já que andou desagradando a todos. Esquece que ter voto é uma coisa, transferi-los é outra.

Aluizio Amorim disse...

Caso estivéssemos num país decente e que não fosse governando por um bando esquerdistas ensandecidos, tudo bem. Dái a gente poderia fazer um jornalismo sem tomar partido. Mas do jeito que segue a coisa temos sim que tomar partido e defender aquilo que é fundamental para qualquer sociedade democrática: a liberdade de imprensa. Não se iluda. Se não fosse a resistência de poucos, já que a imprensa brasileira está completamente dominada por jornalistas idiotas e cretinos ou comedores de caraminguás oficiais, o PT já tinha feito como o seu amiguinho Hugo Chávez faz na Venezuela. Eu sou jornalista e sei muito bem como funciona uma redação onde trabalhei por vários anos e depois fui para consultoria de comunicação e assessoria. Meu perfil está no meu blog. Tbém lecionei para curso de jornalismo. Quem faz jornalismo imparcial são esses bobalhões ou oportunistas da Folha e do Estadão. Serra vai ganhar a eleição porque a maioria já viu que o PT no poder é um desastre administrativo e além disso pretende - pasme! - criar uma República Socialistas. Essa gente surtou. Mas não deixa de ser perigosa.
Abraço
P.S.: Nem revisei o que escrevi. Daí, releve eventuais erros.

Paulo T. Truman disse...

Vivemos tempos em que a propaganda elege os "representantes do povo", termo que poderia ser traduzido como "a legitimação dos algozes desse próprio povo". Não importa se as escolas estào caindo aos pedaços. Na propaganda do MEC, em horário nobre e feita por um ator Global, as escolas são apresentadas exemplo de modernidade e de investimentos. Não importa nem mesmo se o Brasil é recorrentemente um dos últimos colocados no Exame de Pisa.
Aí vem a propaganda, também em horário nobre, do BNDES, da Eletrobras. Para que essas instituições precisam fazer propaganda, senão para construir um castelo de cartas eleitoral?
Bolsa escola, bolsa família, bolsa combustível (essa para os funcionários comissionados, que são muuitos)... bolsas. Pobre de uma povo que precisa de bolsa esmola para viver.
Enquanto isso, o país tem uma infraestrutura pífia, zero de competitividade industrial, uma agricultura que tem que lutar contra invasões promovidas por um bando de marginais que é contra uma das raras atividades produtivas em que o Brasil é referência mundial!
Ano de eleição e esse povo sem instrução vai ser OBRIGADO a escolher seu próximo representante. Seu próximo messias que chegará daqui a 4 anos e dirá: "muito fizemos, mas muito ainda precisa ser feito. Por isso, vote em mim para presidente (ou governador, prefeito, deputado).
Enquanto não tivermos uma educação realmente do nível da propaganda, e voto não obrigatório no país, só nos resta batermos palmas para o marqueteiro a ser coroado nas próximas eleições.

Postar um comentário