sábado, 17 de abril de 2010

Os apressadinhos



Os (pré) candidatos ao governo do Paraná estão apressadinhos para conquistar a vaga no Palácio das Araucárias, o clima não está nada amistoso por aqui.
O PDT quis ser o espertinho da vez. Deixou de lado as desavenças com o PT e tentou emplacar a aliança, mas criaram uma novela, nos capítulos apareceu de tudo, lista de exigências, troca de farpas, interferência do presidente Lula e nada foi acertado.
E mesmo com as negativas dos petistas em aceitar tudo que o PDT quer, eles continuam querendo mais, ontem o comentário era de que se Lula não interferir e conseguir fechar o acordo entre os partidos os pedetistas declarariam apoio a José Serra e formariam o 2 palanque peessedebista.
Será que essa ameaça e para o PT ou o PDT tem esperança de que ao apoiar Serra consigam retirar uns votinhos de Beto Richa?
O candidato peessedebista é o mais apressadinho de todos deixou a prefeitura de Curitiba com a mala na mão, e desde então percorre o interior em busca de votos, se é campanha antecipada ou não cabe ao TRE decidir.
O PMDB está numa sinuca de bico uma ala do partido não queria o nome de Orlando Pessuti como candidato, os peemedebistas tentaram engolir.
Foi só sentar no trono de imperador das Araucárias que criou coragem para enfrentar o ex-governador Roberto e Requião, demitiu aliados e despertou a ira do seu antecessor, além de que dentro do seu próprio partido aumentou o número de interessados em afundar sua candidatura.
Outro dia que falei dos nossos (pré) candidatos acabou ficando de fora o PPS, o clima não é nada amistoso na legenda, eles que já cogitaram apoiar o PDT, desde que eles não tivessem firmado aliança com o PT.
Depois surgiram comentários de que poderiam estar na chapa do PSDB indicando o nome do vice-governador.
Hoje quando foram discutir essa possibilidade o clima esquentou entre os aliados, trocaram farpas e o divulgaram que ficariam com a candidatura própria, ou seja, mais um mandato as sombras de outros partidos.
Questionaram-me também da ausência do PV no outro comentário sobre os (pré) candidatos, eles terão candidato próprio o vereador de Curitiba Paulo Salumani.
Os apressadinhos são os (pré) candidatos dos partidos maiores, o PPS está em discussão e o PV apenas indicou o seu nome.
Enquanto nada é definitivo nos continuamos de olho.

4 comentários:

Thea Tavares disse...

Cíntia, nada me tira da cabeça que o acordo entre Osmar e Beto esteja selado há muito e, por ele, Osmar que não sai da moita até então vai se lançar a senador. A pergunta que fica é: quanto custa isso? Se Osmar quase derrotou o Bob Rex na última eleição pro governo, seria o candidato naturalmente mais forte agora, caso se decidisse logo e não ficasse enrolando com exigências absurdas ao PT (caso a Gleisi aceitasse, seria outra a desculpa). Quanto vale comprar o passe dele agora para que não saia ao governo e colabore com o plano de repetir o "blocão" da eleição para prefeitura de Curitiba em 2008? Mesmo PMDB saindo sozinho, como foi com o Moreira, cumpre um papel de favorecer o Beto... Pessuti diz que não, mas 13 dos 18 deputados peemedebistas já se decidiram pelo contrário. O resto é jogo de cena. PPS???!!! Esse é e sempre foi o passe mais barato na corrida eleitoral por estas pradarias... hehe.

Paulo T. Truman disse...

Cintia, seus comentários são muioto inteligentes e pertinentes, mas - pode apostar - que o jogo verdadeiro é jogado - ou comercializado - nos bastidores. Nós, simples mortais, assistimos só o treinoo.. O jogo mesmo é jogado sem torcida, com os portões fechados. Quando muito, os cinegrafistas conseguem filmar de longe, por um fresta no portão ou de cima de uma árvore, só pegando a pontinha do campo. Seu grande - ou seria imenso? - desafio é achar uma brechinha no muro, ou tentar imaginar o que está acontecendo do outro lado do portão. Bom trabalh

Mike Osoviskh disse...

Os acontecimentos no Paraná são um pequeno reflexo das dificuldades dos partidos em todo país. Até mesmo o todo-poderoso lula terá de curvar-se ao realismo político brasileiro. Lula já e quase um ex-presidente e muitos aliados(seria mais correto aliciados) mantém um pé no tombadilho da Nau petista e outro nos portos tucanos. É simbólico que há pouco foi marcada pelo naufrágio do titanic. Políticos brasileiros tem a estranha mania de lançar barcos "inafundáveis"...

Ronaldo Fagundes disse...

Vamos torcer para que entre um Governo bom e eficiente para todos os paranaenses, e não só ficarem nas promessas das eleições, valeu Cintia

Postar um comentário