quarta-feira, 28 de abril de 2010

E agora Ciro?

                                                                                                   Roque Sponholz


O deputado federal Ciro Gomes (PSB) bem que tentou impor sua candidatura, mas não conseguiu convencer seu partido. Na noite de ontem postou no seu blog um desabafo do que considera ter sido um erro tático.
Muito modesto titulou seu comentário “Ao rei, tudo, menos a honra”, ele aceita descontente essa decisão, talvez por acreditar que sendo candidato e apoiando um chapa apenas no segundo turno poderia garantir bons espaços no governo.
"A cúpula de meu partido, o PSB, decidiu-se por não me dar à oportunidade de concorrer à Presidência da República. Esta sempre foi uma das possibilidades de desdobramento da minha luta. Aliás, esta sempre foi a maior das possibilidades. Acho um erro tático em relação ao melhor interesse do partido e uma deserção de nossos deveres para com o país", escreveu.
A insistência em ser (pré) candidato à presidência inviabilizou a possibilidade de lançar-se ao governo de São Paulo com o apoio do PT, que diante da indecisão de Gomes lançou o senador Aloísio Mercadante.
Na tentativa de um golpe de misericórdia utilizou seu blog para pressionar o PSB, e até disparou ataques contra o PT, mas nada convenceu os pesebistas que era importante ter seu próprio candidato.
E agora será que Ciro Gomes continuará filiado ao partido que inviabilizou seu projeto político?
Vamos ficar de olho.

6 comentários:

anna.s disse...

Muitas felicidade para seu Blog...Quando as mulheres escrevem nossas mensagens que eles estão de forma que o mundo é um lugar melhor.

Eu lhe desejo muito sucesso...lhe envia um beijo e um abraço...@anaschwarz

Marcus disse...

O Ciro está pagando o preço por ficar muito tempo ao lado de Lula. O presidente usou-o do modo que melhor lhe pareceu. Deu corda para disputar a presidência. Fez com que mudasse seu domicílio eleitoral para São Paulo. E agora Ciro? Ficou com o pincel, pendurado e sem a escada.

Luciano Nunes disse...

Muito pertinente seu texto, acho Ciro Gomes um grande politico no partido errado.

Anônimo disse...

Ciro deveria se desfiliar do partido e também do Lula, começar vida nova e principalmente colocar a boca no trombone, falando tudo que sabe.

Odila Garcia

Maurício Reale disse...

Ciro Gomes é um político oportunista e demagogo. Nasceu em Pindamonhangaba (SP) – coincidentemente a mesma cidade natal de Geraldo Alckmin, seu antigo correligionário no PSDB – mas sempre se considerou cearense e sempre acusou os paulistas de explorarem os nordestinos. Os imigrantes nordestinos – ao contrário do que dizia Ciro Gomes – sempre agradecem aos paulistas, especialmente aos paulistanos, pelas oportunidades de emprego geradas, tanto na capital, como no interior paulista. A arrogância de Ciro o tirou da disputa presidencial e também da disputa pelo governo paulista. Bom para o Brasil e bom para São Paulo. Quanto ao Ceará, os eleitores daquele estado têm a chance de se livrar do irmão de Ciro, Cid Gomes. Aquele mesmo que gastou R$ 388 mil reais dos cofres públicos para levar sua mulher, sua sogra e as famílias dos assessores mais chegados para passear na Europa. Aquele mesmo que gastou R$ 330 mil contratando bandas de forró, sem licitação, para animar assinaturas de convênios com cidades do interior do estado convertendo sua gestão em um comício permanente. Nem o Brasil, nem São Paulo, nem o Ceará precisam de Ciro Gomes.

Paulo T. Truman disse...

Ao rei tudo, menos a honra... bela frase. Honra pouco significa em qualquer reino, principalmente no da Brasiléia. Lá poder, bajulação, comissões, lobby, chantagem... isso sim tem valor (e o PT elevou esse valor para um patamar superior a 20%, no mínimo). Mas, honra!!? o que significa isso? Ao rei, tudo menos a honra. Ao bobo da corte, por usa vez, nem uma mísera vaga à presidência. Ficaremos privados de uma belíssima candidata à primeira dama, mas nos livramos de mais um miserável candidato a redentor.

Postar um comentário