terça-feira, 12 de abril de 2011

PR registra queda nos casos de dengue


                                                                                                 chargesdotinho.blogspot.com
Do site Boca Maldita
O Paraná registrou uma queda de 44% nos casos confirmados autóctones (cuja infecção ocorreu dentro do Estado) em relação a este mesmo período de 2010, de acordo com o informe divulgado pela Secretaria de Saúde nesta segunda-feira (11).
O secretário da Saúde, Michele Caputo Neto, disse quer apesar da queda a situação ainda é alarmante. “O governo continua atuando no combate à dengue e o apoio da população é essencial para que vençamos esta batalha”, afirmou.
NÚMEROS - O novo informe, referente a dados registrados até a semana epidemiológica nº 14 deste ano, contabiliza 36.063 notificações, destas, 10.332 foram confirmadas como caso de dengue, sendo 10.091 autóctones e 241 importados.
Em 2010, neste mesmo período, o Paraná já confirmava 14.905 casos autóctones, o que mostra que houve uma queda em relação às infecções ocorridas dentro do Estado. Somente neste ano foram registrados 56 casos graves da doença (febre hemorrágica ou dengue com complicação) e 11 mortes.
“O combate à doença é um dos pontos prioritários da nossa gestão, desde o início do ano temos intensificado as ações de combate e prevenção. Também já reforçamos as equipes de saúde e enviamos recursos para fortalecer a rede assistencial de alguns municípios. Para que haja uma queda ainda maior precisamos do envolvimento de todos, são hábitos simples que fazem grande diferença”, disse Caputo Neto.
Mesmo com as temperaturas mais baixas, as medidas de prevenção devem continuar. Este período é considerado ideal para intensificar a eliminação de possíveis focos do mosquito transmissor da doença.
“Os ovos do Aedes egypti sobrevivem por até 450 dias esperando um dia de clima propício para sua eclosão. Se evitarmos que esses ovos se desenvolvam no período mais frio, a possibilidade de que os casos de dengue diminuam no ano que vem é grande”, explicou o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz.
Para evitar a reprodução do mosquito, o recomendado é ficar atento a todo recipiente que possa acumular água em casa, como pratinhos de vasos, garrafas, pneus, caixas d’água e calhas. É fundamental, também, dispensar em lixo adequado qualquer tipo de entulho e materiais que possam reter água.
REFORÇO – Nesta semana, 10 técnicos da Secretaria da Saúde se deslocarão para a região oeste do Estado para reforçar as equipes municipais no enfrentamento à dengue.
Eles se dividirão, principalmente, entre os municípios de Guaíra, Foz do Iguaçu, Santa Terezinha de Itaipu e São Miguel do Iguaçu, que se encontram em situação preocupante em relação ao controle da dengue.

Um comentário:

elias glaucio disse...

Se cada um fizer a sua parte e nao for relapso,poderemos diminuir esse mal a curto prazo.É uma questao de boa vontade dos governos e disciplina por parte da populaçao.

Postar um comentário