terça-feira, 11 de maio de 2010

Ser ou não candidato?



O (pré) candidato Osmar Dias em entrevista a rádio CBN, deixou no ar a sua candidatura quando declarou não ter interesse, e nem mais idade, para entrar na disputa do governo do Paraná e ser apenas um coadjuvante.
Falou ainda da dificuldade em ser candidato sozinho, com apenas 45 segundos de propaganda eleitoral na TV, mas será que sua candidatura foi sucumbida pelo ego, ou mesmo pelo medo de não emplacar.
Os pedetistas foram taxativos nas suas exigências quando negociavam com o PT-PR, e os petistas também não colaboraram e mantiveram as suas prioridades, parecia mais uma batalha de vaidades do que negociação de uma aliança.
Assumir a deficiência de uma candidatura sem aliados, não deve ter sido fácil para Dias, mas também no caso de sua desistência é desmotivar todo um partido, que esteve tão próximo da vitória em 2006.
E se o pedetista optar pela candidatura ao senado, os seus colegas de partido, ou outros aliados vão investir no plano B de Dias?
Antes acreditavam que depois do último resultado viriam embalados nessa campanha, e tudo se perdeu em meio à tentativa de se aliar ao PT, e o senador viu seu nome envolvido a incertezas, diferente dos adversários que já vivem o clima de (pré) campanha.
Agora é aguardar a decisão de Osmar Dias “Ser ou não candidato?” vamos ficar de olho.

2 comentários:

Marcos Pontes disse...

Quando o sujeito faz de cargos eletivos uma profissão, termina se colocando nessas situações vexatórias. Candidatando-se ou não, vencendo ou não, continuará mamando nas tetas da viúva em algum cargo do primeiro ou segundo escalão num governo seu ou coligado. Essa corja não larga o osso.

srcom disse...

O Osmar Dias é um cara que inspira ser sério, confiável, mas, não sei, meio flácido demais! Estamos mal de candidatos ao governo. Novamente!

Postar um comentário