domingo, 6 de fevereiro de 2011

Caixa de Pandora



A ALEP (Assembléia Legislativa do Paraná) até o momento só reservas surpresas ruins. A avalanche de fraudes começou a ser divulgada no ano passado, com os Diários Secretos pela Gazeta do Povo e RPC (Rede Paranaense de Comunicação), neles foi denunciado o esquema de funcionários fantasmas.
Ocorreram as eleições, envolvidos no escândalo infelizmente foram reeleitos, e no dia 01 de fevereiro logo após a posse, e a eleição do presidente da casa mais um escândalo viria à tona, a máfia da segurança.
Lembro-me de quando o novo presidente da ALEP, Valdir Rossoni (PSDB-PR), anunciou uma auditoria da FGV (Fundação Getúlio Vargas) me perguntei se mais coisa ruim poderia aparecer, e ela nem iniciou e mais esquemas são revelados.
Hoje, a Gazeta do Povo revelou mais um esquema, o dos Supersalários, o qual pagou irregularmente para 391 pessoas. A prática é ilegal, pois a Emenda Constitucional n.ºde 2003, determina que nenhum servidor de Assembléia Legislativa possa receber mais que o teto do deputado estadual.
A nossa ALEP, sem se preocupar com a emenda, e inserida nas tramas de corrupção de alguns dos seus grupos pagou a mais R$ 73 milhões, dinheiro público utilizado de forma irregular. É só fazer a conta eram para ter gasto R$ 104 milhões, com o valor a mais a soma chega R$ 177 milhões.
Quando li isso, e depois de tanto escândalos pensei em que poderia comparar a nossa ALEP, me lembrei da Caixa de Pandora, diz à lenda que junto aos males do mundo havia a esperança nela. Espero que mesmo com tanta corrupção haja possibilidade de mudança, e que novo e velho deputado tenha a esperança de melhorar ao invés de querer se aproveitar dos esquemas fraudulentos.
Nós vamos ficar de olho. 

2 comentários:

elias glaucio disse...

Como escrevi no twitter,o Rossoni so conseguira vencer esta guerra com a mobilizaçao da sociEdade e da imprensa livre,do contrario prevalece o corporativismo e tuda vai ficar na mesma.Ao que parece ele esta disposto a limpar a ALEP.

Ronald disse...

So espero que se dê continuidade e seja devidamente punido os culpados.

Postar um comentário