quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Lá em Brasília



Ontem, o deputado Marcos Maia (PT-RS), foi eleito o presidente da Câmara dos Deputados. Sua eleição era esperada por todos, apenas as expectativa de votos não foram como as previstas. Aliados apostavam que ele se elegeria com mais de 400 votos, mas acabou sendo eleito com 375.
Seu oponente, Sandro Mabel (PP-GO), que chegou a ser motivo de chacota dos aliados de Maia, teve 106 votos. Foi até engraçado ver que adversários dele depois das piadas em torno da sua candidatura declararem que não foi protesto, e sim que ele tinha propostas sólidas para a casa.
Outros candidatos também tiveram votos, foram 16 votos para o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) e 9 para o candidato Jair Bolsonaro (PP-RJ), três deputados votaram em branco.
Esses 106 votos de Mabel podem ser explicados na declaração do deputado Chico Alencar (PSOL-SP), ‘Voto secreto gera uma vontade de trair danada’. Devem ter alguns espertinhos que se aproveitam e pularam do barco de Maia.
Não foi só a eleição da Câmara que agitou Brasília, a tão esperada indicação para a vaga do STF (Supremo Tribunal Federal) aconteceu, a presidente Dilma Rousseff (PT) indicou o carioca Luiz Fux. Considerado um estudioso, mas moderno, será que sua indicação se deve ao seu padrinho Sérgio Cabral, ou Dilma quer dar novo gás a casa.
No resumo do dia, ontem, faltou comentarmos a 1. ª presidência do senado, ela ficou com Marta Suplicy. O que esperar da dupla Sarney-Marta?
Com tantas novidades lá em Brasília nos resta ficar de olho. 

2 comentários:

elias glaucio disse...

Nao houve eleiçao...mas uma aclamaçao imposta pelo planalto e pelo corporativismo legislativo.So queria saber se o PSDB e mesmo oposiçaO,ou so leva jeito para fazer conchavos?Cade a esperança mineira chamada Aecio Neves?A eleiçao do Rossoni nao foi surpresa,sua atitude moralizadora sim...ser for em frente sera uma grande avanço.

drluiz disse...

A eleição do novo Pesidente da Câmara já era esperada.
Todavia o dissidente do PR surpreendeu com os 106 votos conquistados e a médio prazo poderá ter uma grande influencia entre os seus colegas deputados, podendo tornar-se o referencial de oposição nesta queda de braço que resolveu disputar contra a vontade dos governistas e a direção de seu partido.
Agora é só esperar para ver.
Quanto ao Senado .... bem ...
Também temos o "nosso" Mubarak !!!

@DRLUIZAUGUSTO_

Postar um comentário