segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Utopia



Há uma boataria em torno dos nomes de Osmar Dias (PDT) e Rodrigo Rocha Loures (PMDB), candidato ao governo e vice, além do ex-governador Orlando Pessuti (PMDB), corre por aí quais são os cargos que eles ocuparão no governo federal.
E os boatos começaram de que Pessuti ganharia um ministério, prêmio de consolação por ter desistido da candidatura ao governo. E depois de que o candidato Osmar Dias (PDT) receberia também um lugarzinho no primeiro escalão, por ter sido leal a candidatura da presidente Dilma Rousseff (PT).
A transição passou, e nem Dias e nem Pessuti ganharam o mistério, depois vieram vários comentários de que ocupariam postos de segundo escalão, mas nada foi confirmado. Hoje surgiu novo boato de que um fica na Caixa Econômica, outro no Banco do Brasil, e tem uma ainda sem posto definido.
Fico me perguntando até quando vamos presenciar esse formato arcaico de político, onde aliados ganham cargos, e ainda ficam envoltos em boatos de quem vai ficar com o que. Já não é hora de ser colocado em execução a tão sonhada gestão política, ocupada por cargos técnicos.
Eu continuo acreditando que esse modelo de política pública técnica é utopia, enquanto nada muda cabe a nós continuar de olho. 

Um comentário:

elias glaucio disse...

Como diz o titulo:UTOPIA,ninguem entar em politica sem esperar algo em troca.

Postar um comentário